Dicção: Resultado de uma boa articulação

    Reading Time: 3 minutes

    Muitas pessoas têm dificuldade de articular alguns fonemas, o que, muitas vezes, prejudica a qualidade e o entendimento de sua fala.

    Esse problema pode ser resolvido através da conscientização da realização articulatória e de um treino específico dos fonemas mais problemáticos.

    Para que você consiga resolver o problema da dicção, primeiro você terá que “detectar o problema”. Esse processo se inicia com a percepção da articulação alterada.

    Em seguida é controlar a dificuldade articulatória, através de exercícios e treinos, para depois experimentar a fase da automatização, ou seja, aquela em que o som articulado será corretamente pronunciado, sem que a atenção esteja voltada para a fala.

    Órgãos da articulação

    Basicamente os órgãos da articulação são: lábios, dentes, palato duro, palato mole e mandíbula. Estes vão decompor os sons da linguagem.

    Eles são órgãos ativos e passivos encarregados da produção de todos os sons para a formação da palavra.

    Todo este conjunto orgânico está dirigido pelo sistema nervoso central, controlado pelo ouvido, e com características pessoais determinadas pela constituição do indivíduo: idade, sexo, e maior ou menor predominância do sistema endócrino. Qualquer modificação de ordem orgânica ou funcional terá repercussão sobre o seu funcionamento.

    Sua voz reflete sua personalidade

    A sua voz é mais pessoal que suas impressões digitais. Ela revela sua personalidade, seus modos, suas atitudes e emoções.

    Sempre que abre a boca para falar você está vendendo a si mesmo, suas ideias, seus produtos, seus serviços.

    A voz reflete o seu eu interior. O assunto pode ser fascinante; sua aparência, agradável; sua presença no palco, profissional – mas se você falar num tom monótono e com uma voz inaudível, ou gritar de forma tensa e rude, a platéia não irá prestar a mínima atenção em seu discurso.

    Quando uma platéia está inquieta, tensa, nervosa ou constrangida por um orador bombástico, ela simplesmente se desliga. Se isso acontecer, a culpa é sua.

    Se não se dirigir a eles da forma mais agradável possível, as palavras, tão cuidadosamente combinadas, encontrarão ouvidos surdos.

    Pratique alterar variação, ritmo, força e expressão em sua voz.

    A maioria das pessoas não está ciente de como suas vozes soam e do quanto reveladora elas podem ser. Você pode fazer com que o que diz signifique mais, se o disser da melhor forma possível, com uma voz expressiva e atraente.

    Qualidades básicas para uma boa dicção

     I – Ser compreensível

    Precisão e clareza na construção do pensamento podem melhorar, lendo-se bons autores, procurando compreender o que se leu, buscando oportunidades de expressar o próprio pensamento e certificando-se de que foi compreendido pelo interlocutor.

    II – Ser correta

    A correção está em não distorcer a verdadeira pronúncia das palavras. Eis alguns pontos que deixam claro a maneira como cometemos erros:

    –          Usando timbres abertos em vez de fechados e vice-versa. Isso acontece com palavras que no singular são fechadas e no plural são abertas. Exemplo: corpo-corpos; osso-ossos.

    –          Acentuando erroneamente as palavras. No canto, devido a linguagem poética, é aceitável algumas palavras sofrerem acentuação em vogais fracas (tuá presença; suá casa) desde que fique clara a mensagem. Entretanto isso se torna complicado durante a fala, principalmente em um discurso público.

    –          Deixando que uma sílaba contamine as outras. Exemplo: Marco Zé feliz. O correto é Marcos É feliz.

    –          Invertendo a posição das sílabas. Exemplo: Estrupo, ao invés de estupro.

    –          Omitindo ou acrescentando elementos nas sílabas ou palavras. Exemplos: Cabeleireiros por cabeleleiros; problema por poblema.

    III – Ser convincente e cativante

    A dinâmica sonora manifesta-se pelas variações na altura, na intensidade, na velocidade e no timbre da voz e é determinada pela motivação interior.

    Ela pode surgir espontaneamente ou ser usada voluntariamente como técnica de incentivação e de comunicação.

    Por isso procure ser empolgante em cada discurso que pronunciar. Não permita que sua voz fique sempre em um único movimento durante a fala. Isso poderá alterar o objetivo real que você deseja transmitir.

    Grave sua voz ou faça um pequeno vídeo de você falando e assista. Veja onde pode melhorar e esteja aberto para opiniões. Explore ao máximo as possibilidades da dinâmica vocal. 


    Deixe nos comentários suas dúvidas, será um prazer poder te ajudar.


    Um grande abraço e sucesso.

     


    Posts que podem te ajudar

    A congregação não canta

    A congregação não canta

    Fabrício Brito4 min. de leitura

    É segunda-feira, e você faz uma reflexão do culto de domingo e lembra que quase ninguém cantou junto com você durante o louvor. É tão fácil culpar a congregação -…

    Conheça sua voz – Parte 1

    Conheça sua voz – Parte 1

    Fabrício Brito5 min. de leitura

    Sua voz deve ser desenvolvida através da prática por isso conheça sua voz. Cantar bem não é por acaso e requer muito trabalho. Envolve o cometer erros e o remover…

    Conheça Sua Voz – parte 2

    Conheça Sua Voz – parte 2

    Fabrício Brito6 min. de leitura

    Conhecer como a voz funciona é tão importante quanto conhecer um instrumento musical. Digo isso porque o cantor É UM INSTRUMENTO musical. No capítulo referente à POSTURA vamos observar que…

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *