RESPIRAÇÃO – Base da Técnica Vocal

    Reading Time: 3 minutes

    A respiração (coluna de ar) tem a função de emissora da voz falada ou cantada tal como o arco para o violino. É o elemento gerador do som. Aqui se trata do fole pulmonar, acionado por uma serie de elementos e fatores a que Pedro Bloch, grande foniatra, chama de Produto ou Ativador. O estudo da respiração é, pois, a base da Técnica Vocal.

    A função principal da respiração é proporcionar oxigênio às células corporais e extrair o excesso de bióxido de carbono das mesmas. Este aparelho abre-se ao exterior pela boca e narinas. Continua com a faringe, traqueia que se ramifica em dois brônquios, os quais, por sua vez, voltam a desdobrar-se em inumeráveis ramificações, os bronquíolos, até terminar nos Lobos Pulmonares, penetrando em seus lóbulos para desembarcar nos vesículos com seus alvéolos. Nos Lobos Pulmonares, é onde se verifica a troca de gases (hematoses) que coincidem com a do sangue venoso em arterial. Em resumo, o Aparelho Respiratório é integrado pelo nariz,  boca, faringe, laringe, traqueia, brônquios, pulmões e o diafragma.

    CARACTERÍSTICAS

    A respiração natural, no conceito de alguns autores é a que se pode observar nos animais e nas crianças recém-nascidas: os  pulmões enchem-se de ar e provocam a pressão e o abaixamento do diafragma, o que se evidencia pela dilatação do ventre. É a sensação que a barriga ficou cheia de ar. Essa é a chamada respiração diafragmática ou abdomino-intercostal.

    Portanto, quando você está respirando corretamente, experimentará o seguinte:

    • deverá sentir a meio inteiro e costas, abaixo das costelas, expandir contra o seu cinto quando tomar ar;
    • sentirá o peito estável ou tranqüilo, porque já estará erguido em conseqüência da postura correta;
    • quando você está expirando, o peito não cai, mas permanece ereto;
    • o abdômen ou diafragma começa a voltar quando você está cantando e deixando o ar sair.

    FASES DA RESPIRAÇÃO

    A respiração tem quatro fases:

    1)  inalação – pelo nariz e/ou boca, profunda e lentamente;

    2) suspenção – a coluna de ar que entra é interrompida para o apoio do som por parte dos músculos;

    3)  exalação – a emissão começa com o ataque. Deve haver uma resistência expansiva ao redor da cintura (abdômen) e peito (caixa torácica) alto e quieto até o final da última nota;

    4)  recuperação – repouso e relaxamento dos músculos utilizados.

    TIPOS DE RESPIRAÇÃO

    Falaremos de três tipos de respiração que as pessoas usam deixando clara aquela que deve ser usada no canto e na fala.

    1)      Clavicular. Também chamada de respiração pulmonar ou superior. Nela se enche mais a parte superior dos pulmões, inadequada para o canto porque permite a entrada mínima de quantidade de ar, ou seja, de oxigênio. Desta maneira a capacidade respiratória se torna diminuída.

    É muito freqüente nas mulheres e em indivíduos com estado de tensão, angustia e ansiedade. Quando tal respiração se realiza, podemos ver a elevação da região superior do tórax e ombros, com maior tensão do pescoço e ombros.

    2)      Costo-diafragmática. Também conhecida como respiração abdominal ou inferior. É a que se realiza através do preenchimento total dos pulmões. Devido ao movimento do diafragma (músculo que separa o tórax do abdômen), ao se contrair faz os pulmões se expandirem abrindo um pouco a parte inferior das costelas. Verifica-se a entrada de maior quantidade de ar e oxigenação de todo o pulmão.

    No canto esta qualidade de respiração é indicada, pois evita tensão na parte superior do tórax, ombros e pescoço.

    3)      Mista. É aquela que apresenta tanto movimentação superior (tórax) como inferior (abdome). Embora seja melhor que o primeiro tipo, ainda não é a mais indicada. Ocorre geralmente em indivíduos que ainda não automatizaram o tipo predominantemente inferior, apesar de já terem iniciado o trabalho específico.

    SUGESTÕES PARA PREVENIR RESPIRAÇÕES RÁPIDAS

             1)   Ao inspirar, direcione sua atenção para o final da frase. Assim, terá noção da quantidade de ar que terá que economizar.

             2)   Não comece frase musical com uma dinâmica forte, a não ser que a interpretação o peça.

             3)   Controle o ar no início da frase.

             4)   Se a frase for longa, evite dar muito som às primeiras notas.

    VANTAGENS DA BOA RESPIRAÇÃO

    • Auxilia o coração, aliviando-lhe o trabalho e capacitando-o suportar maiores esforços.
    • Favorece a eliminação do anidrido carbônico.
    • Favorece uma melhor nutrição dos tecidos com sangue mais rico em oxigênio.
    • Cria um volume pulmonar superior ao normalmente utilizado.
    • Facilita o controle dos estados emotivos, dando estabilidade ao sistema nervoso.
    • Após um esforço, permite que as freqüências cardíacas e respiratórias retornem mais rapidamente à normalidade.
    • Mantém treinados os grupos musculares envolvidos na ação respiratória, impedindo que se atrofiem.
    • Oxigena o cérebro, favorecendo a memorização e aprendizagem.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *